História de Pescador: O Sambaqui Assombrado


Vou te contar um causo que aconteceu lá pras bandas do Marujá... Já ouviu falar?
Senta aí, vê se não vai se assustá!


Aconteceu há muito tempo, nesse canal logo aqui na frente...

Eram dois pescadores pescando de canoa perto do sambaqui.



Era uma noite escura, sem lua.


A água tava bem paradinha e dava pra ouvir qualquer som a quilômetros de distância e eles começaram a ouvir saltos na água...



Logo pensaram que só podia ser tainhas e das grandes porque o barulho que elas faziam quando saltava era forte.

Aproximaram a canoa até chegar bem perto e o barulho só aumentava, era tainha pulando pra todo lado e, de repente, eles ouviram um baque dentro da canoa...



Felizes da vida acenderam o lampião pra ver o tamanho da tainha que pulou pra dentro da embarcação, só que quando a luz brilhou o coração deles gelou...

Dentro do barco não tinha peixe e sim um pedaço de osso de gente!



Foi aí que eles iluminaram o rio, em volta da canoa, e viram vários ossos saindo do sambaqui e sendo lançados na água...

Os dois pegaram os remos e voaram dali e, até hoje, ninguém mais se atreve a pescá por lá!



Pra quem não sabe Sambaqui é o nome dado aos sítios pré-históricos formados pela acumulação de conchas e moluscos marinhos, realizados por humanos,em que frequentemente se encontram ossos humanos e de animais, objetos de pedra, chifres e cerâmica.
Aparecem como pequenas elevações e são a prova da presença do homem primitivo na área litorânea composta pela restinga.



E quem me contou essa história foi o Sr. Arnoldo, morador e pescador tradicional do Núcleo Marujá na Ilha do Cardoso...

Vou ficar devendo a foto dele pois perdi meus arquivos. :/

You Might Also Like

0 comentários