Boca da Barra

Aloha!

Depois de um bom tempo sem aparecer por aqui trago um passeio que prova que, para se divertir na praia, nem sempre precisa estar quente!

Aproveitando que o domingo de inverno amanheceu frio mas ensolarado decidimos sair de casa e respirar outros ares...

Nosso destino?

Boca da Barra, ou encontro das águas, que fica na Ilha da Juréia.


O caminho todos já conhecem: Iguape, estrada do Icapara, balsa e... Juréia!

Aproveite para curtir o caminho (super charmoso) que tem paisagens magníficas por onde se olhe.


Como sempre a diversão já começa na travessia da balsa e, dessa vez, com as águas claras e a maré propícia, o lugar estava cheio de barqueiros e pescadores...

Ao fundo já podemos avistar as dunas da Juréia que margeiam o rio/mar.


Já na encantadora Juréia nossa aventura começa!

Os meninos vão procurar isca para comprar e eu vou atrás de informações pois, meu objetivo hoje, é chegar na ponta da Ilha onde rio e mar se encontram.

Pergunta daqui pergunta de lá e logo vem a decepção: mesmo com a lua favorável a maré estava alta e a areia muito fofa, sendo assim o risco de atolamento era muito grande e não queríamos passar por isso de novo!


Para quem veio pescar o dia não estava perdido, afinal na Juréia, basta encostar em qualquer barranco lançar a isca e se divertir...


Como pescar não é minha praia, deixo os meninos por aqui e vou explorar, que é o que faço de melhor! rs

Aqui na Juréia é assim: nada de ruas, muito menos. asfalto... Sigo por uma das várias trilhas que levam ao mar.

Por aqui vegetação típica das dunas rasteira e cheia de arbustos.


Logo ele surge, majestoso e barulhento, com sua brisa forte e salgada soprando no meu rosto.

A praia estava cheia de galhos e pedaços de árvores por toda sua extensão...

Até pensei em seguir para a ponta da praia a pé, mas estava há uns 3 km de distância e isso me desanimou muito (rsrs).

Passei um bom tempo por aqui, caminhando e absorvendo os raios solares, procurando pequenos animais e aves para fotografar...


A praia estava bem deserta, mas de uma beleza deslumbrante!

E, quando pensava que o passeio não seria nada mais que isso, surge uma ótima oportunidade: um barqueiro nos oferece um passeio até a boca da barra. \0/


E, se não vamos por terra, seguimos de barco!
Uuuhuuuuuu...


Pelo caminho paisagens maravilhosas e muitos barcos pesqueiros...

As margens são formadas por dunas e mangues e ao fundo, como que emoldurando tudo, os grandes montes que formam o Vale do Ribeira.



Nossa primeira parada foi na Praia do Leste e como já fazia mais de um ano que eu não aparecia por ali, me assustei com o tamanho da devastação que se encontra por lá...

Uma imensidão de galhos, troncos e até árvores inteiras se acumula por lá.
São materiais orgânicos que vem com a maré e, também, árvores que estão despencando com a erosão do lugar.


Daqui já dá para ter uma noção do que acontece lá do outro lado, na boca da barra, onde rio e mar se encontram...

Perceba aqui na frente o rio e, lá ao fundo, as ondas do mar!


Antes de deixar este pedaço de encanto, percorro o trecho de areia que resta...

Por toda a extensão da Praia do Leste o que vemos é isso: casas desabando, muita madeira, destroços de construções, ferros e outras armadilhas.

Todo cuidado e atenção ao passear por aqui!
 Mas este lugar é tão exótico que merece um tempinho dedicado à ele.


De volta ao barco, seguimos rumo ao lado oposto daqui. Lá é a boca da barra e é onde esta magia da natureza acontece...

De um lado o mar com suas ondas que morrem no rio que segue revolto e, ao mesmo tempo, manso.
 É difícil de explicar em palavras a beleza natural deste lugar...


Aqui a Ilha da Juréia acaba, faz uma curva, deixa o mar de um lado e o rio do outro.

Dá para se chegar na fronteira e ver, de pertinho, este encontro das águas!


Daqui da ponta da Ilha da Juréia pode-se avistar à frente a Ilha Comprida e à direita a Praia do Leste...

Todas tão próximas que a impressão é de que se pode atravessar nadando...
Mas não faça isso, o rio é fundo e a correnteza muito forte!

Aqui dá para se perceber esta força pois, estas ondas que se vê na imagem, são do rio e não do mar.


O sol já estava bem alto e brilhante quando chegou a hora de partir.

A brisa fria que vinha desta área aberta nos espantou logo mas a criançada, ainda, aproveitou para correr, achar "objetos perdidos" e caçar garças antes de voltar para o barco...


Hora de dizer adeus, mas com promessa de voltar!

Vamos seguindo para o barco levando alegrias, emoções, aventuras e muita magia...


Aos poucos vamos deixando estas belezas para trás e a vontade de voltar logo e, quem sabe, passar muito mais tempo por aqui!

A galera já está se programando para passar o dia pescando e assando peixe na brasa... Será? rs


O sol já ia se pondo atrás do Morro do Espia quando chegamos em Iguape, coroando de dourado o dia maravilhoso que tivemos.

Uma paradinha por aqui para apreciar a paisagem, que nunca me canso de olhar, antes de dar o último adeus ao nosso domingo de sol.


Já na Ilha, uma última olhadinha no sol que vai se escondendo dentro do Mar Pequeno...

Mahalo Universo!

You Might Also Like

0 comentários