Trilha Ecológica Morro do Espia

Aloha!

Um fim-de-semana desses resolvi fazer um programa diferente, mais animado e cheio de aventura para agitar as férias da molecada.
O destino, dessa vez, foi explorar a Mata Atlântica que cobre a serrinha de Iguape em uma trilha que leva à lugares com paisagens incríveis!


O passeio começa aqui, na Fonte do Senhor.
Lugar de natureza exuberante, fontes e riachos que escorrem por todos os lados.


A trilha que escolhemos (tem várias) começa no pé-do-morro e, a partir daqui, é para cima!
O caminho é longo e, admito, nada fácil...

Vamos lá?


Logo no começo, um exemplo das belezas que encontraremos pelo caminho. Aqui uma árvore repleta de belas bromélias enfeitam a entrada da trilha... É bem animador não?


A trilha segue mata atlântica adentro, o percurso é um pouco acidentado, com muitas pedras escorregadias, galhos soltos pelo chão e terra fofa e úmida, devido ao clima da mata.

As folhas que caem das árvores e se acumulam pelo caminho enganam muito, pois podem esconder buracos e rochas. Portanto todo cuidado é pouco para evitar quedas e acidentes.


Uma das regras do passeio foi: nada de música, somente os sons da natureza!
Sendo assim, pelo caminho, o canto das mais variadas aves servem como trilha sonora e, aos poucos, maravilhas como esta vão se revelando...
Neste trecho, a trilha passa por entre os galhos desta árvore e a natureza segue seu ciclo sem ser agredida pelos passantes.


A subida é forte e, para piorar, a quantidade de pernilongos aqui dentro é absurda!
Como eu já sabia disso fui preparada: de calça comprida, camisa de manga e repelente.

Teve até gente, por aqui, me chamando de louca. Dizendo que eu parecia uma turista vestida daquele jeito, mas no meio do caminho ouvi: "você que é sortuda por estar vestida assim"! #haha
Bom, pelo menos meu status melhorou, de louca passei para sortuda (rsrs), mas a verdade é que foi pura precaução.

Acontece que não adianta, pode-se até diminuir as picadas mas são tantos pernilongos que não tem como sair ileso dali.
O negócio é seguir sem parada, senão... Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz... Ai!!!!


Uma coisa que eu achei super legal e super importante é que a trilha é toda demarcada com estes pedaços de TNT, ou pinturas nas árvores, galhos e folhas por todo o percurso!
Isso garante a segurança de não perder o caminho, afinal estamos dentro de uma mata e sair da trilha pode ser bem perigoso.


A exuberância e força da natureza são impressionantes por aqui!

Nesta fenda que se forma no tronco desta árvore cabem umas quatro pessoas. Além dela, vimos uma árvore muito maior e, esta, eu não consegui fotografar pois o local era bem acidentado e os pernilongos não davam brecha para achar uma boa posição para o click...  :(


O clima, aqui dentro da mata, é úmido e abafado, o que deixa a subida mais difícil.
A roupa, que fica toda molhada, e o suor excessivo atraem mais insetos ainda...

Mas com paciência e vontade dá para curtir a paisagem e o som da natureza. Por aqui nada de barulho da cidade.


A primeira visão do Cristo foi aplaudida e muito bem vinda!

Aqui foi nossa primeira parada, trinta minutos depois de termos partido do Parque. Hora de descansar e babar com a paisagem...







Atrás de nós, o majestoso Cristo coroado com este sol imenso e com seus braços abertos abençoando tudo lá embaixo, nos fez lembrar que era hora de seguir, afinal aqui é apenas metade do caminho ou, se você preferir uma trilha mais curta, é apenas o ínicio. ;)

Nosso objetivo, agora, é o Mirante da Boa Vista!


De volta à trilha, ainda, podemos ver trechos do Mar Pequeno se esgueirando por entre os mangues e seguindo seu curso de vida!


Este trecho da trilha é muito mais íngreme e exige fôlego e disposição... A subida parece não acabar nunca e parar para recuperar o fôlego não é uma boa opção pois os pernilongos aqui me pareceram mais ferozes que na outra trilha!

Tenho que admitir que esta subida foi difícil, estava muito úmida e escorregadia (se puder escolher uma época mais seca a trilha vai ficar muito mais fácil), nossa salvação foram as raízes das árvores que formavam uma espécie de escada natural para apoiar os pés e mãos.


Atenção e cuidado são essenciais por aqui afinal estamos em um ambiente natural que possui espécies variadas e exóticas, inclusive perigosas...

Dá uma conferida nesta folha caída no meio da trilha e repleta de espinhos enormes, escorregar em cima dela deve doer muiiiito, então olhos abertos um acidente aqui é perigoso!


Mas não é só de perigos que estava cercada, em cada cantinho uma surpresa, como estes belos cogumelos crescendo no tronco de uma árvore!


Ufa!
Chegando no topo do morro, no Mirante da Boa Vista...

Além do cansaço e da fadiga da subida, esta paisagem arranca o restante de ar que nos resta, aqui é muito alto e dá para avistar até onde o horizonte escurece entre morros e nuvens.

O calor é forte e a vegetação densa, dá para chegar na borda do morro, acima da pedra e é para lá que vou seguir!



Aqui é nosso limite, para a frente somente um precipício, abaixo a mata e além as montanhas que formam o vale...
Uma última vislumbrada e bora que a volta é longa!
O único caminho para a volta é seguir a trilha de volta até a Gruta do Senhor ou seguir a trilha até o Cristo e, de lá, seguir pelo asfalto de volta até a Gruta.

Como a gente é #vidaloka =D seguimos pela trilha até o local de onde partimos!


Cansados, suados, picados e com sede paramos nesta cascatinha para hidratar, refrescar e reabastecer as garrafas.

Já faz 1 hora e 40 minutos que iniciamos a trilha e, ainda, falta bastante para chegarmos ao nosso destino.
A parada é rápida, os pernilongos não dão trégua... hehehe



Na reta final, já estávamos muito cansados e só pensávamos em chegar logo!

A criançada, cheia de energia, chegou na frente!
Aos primeiros gritos a felicidade da vitória,  vencemos a trilha e nos divertimos pra valer...


2 horas e alguns minutos depois estamos de volta ao ponto de partida.

A água que escorre da fonte nos refresca antes da despedida, todos estamos cansados mas muito muito realizados com o passeio!
O contato com a natureza é revigorante e aventura em família é uma delicia.


Na saída do parque uma ultima olhada e uma surpresa: olha a altura que fica a Pedra Lisa, o que significa que andamos muiiito mesmo!

Isso nos deixa mais satisfeitos ainda. Rsrs


De volta para casa, já dentro do carro, uma bela olhada no morro e uma exata dimensão da nossa caminhada...

 Aqui nesta foto dá para se ter uma ideia da distância que percorremos: do lado direito da imagem (na torre lá no alto) fica o Cristo, nossa saída foi no pé-do-morro e, para o lado esquerdo (quase no fim da foto) dá para ver a pedra da paixão.

E aí, vai encarar???? Hehehe

Nós encaramos e já estamos planejando a próxima trilha. ;)


You Might Also Like

0 comentários