Caverna do Diabo

Voltando, depois de um bom tempo sem aparecer por aqui, para contar sobre um passeio mais que especial que fiz neste domingo passado.
Já deixo claro que não foi na Ilha mas, foi no Vale do Ribeira e, portanto, também cabe aqui neste espaço!

Fui convidada a conhecer a Caverna do Diabo. Confesso que quase me arrependo pois, daqui da Ilha até lá levei 2 horas de viagem e, no meio do caminho, já me perguntava: se o "inferno" é tão longe assim deveria ter continuado aqui no paraíso mesmo - rsrsrs. Brincadeiras à parte, este é um passeio que recomendo à todos que tiverem a oportunidade de fazer...



Então chega de blá blá blá e vem comigo... Hoje nós vamos conhecer uma parte do Parque Estadual Caverna do Diabo!


O Parque Estadual Caverna do Diabo se situa em meio a Mata Atlântica, no Vale do Ribeira e abrange os municípios de Barra do Turvo, Cajati, Eldorado e Iporanga. O parque abriga uma das maiores cavernas do estado, a Caverna do Diabo.


O parque possui 40.219,66 ha e faz parte do Mosaico de Jacupiranga juntamente com outras 13 unidades de conservação.
Esta é a altitude onde iniciamos a caminhada para chegar até a caverna.
Para quem mora no litoral é uma mudança e tanto estar há 460m de altitude... Mas, já que chegamos até aqui, bora aproveitar!


A entrada do parque, por si só, já é uma delícia!
Logo no começo você já se sente dentro da Mata Atlântica, cercado de verde, córregos, cascatas e ar puro... 
Vamos continuar? A caverna é logo ali...


Aqui é o pit stop para a entrada da caverna. 
Neste local os visitantes se registram e pagam uma taxa para fazer a visitação acompanhado de um guia. A taxa é de R$ 20,00 por pessoa e crianças até 12 anos pagam R$ 9,00.
A visitação é feita em pequenos grupos que percorrem 600 m adentro da caverna com um guia especializado que vai destacando as particularidades da caverna.


Grupo formado, muita ansiedade, frio na barriga... É hora de entrar nesta caverna que tem mais de 2 mil anos. Vamos ver as maravihas que este lugar nos reserva?


Primeira imagem, já no interior da caverna. Aqui, ainda há luz natural e neste trecho do riacho que percorre a caverna pode ser encontrados alguns peixes... Mais para dentro, existem espécies exclusivas de locais sem luz natural que, segundo o guia, são peixes que não tem olhos já que seriam inúteis.


Neste trecho, onde o acesso é liberado para qualquer tipo de visitante (mesmo para quem não tem a menor experiência em explorar cavernas) existe toda uma estrutura de corrimões, passarelas e iluminação que facilitam o acesso do público com total segurança, pois tem nível de dificuldade fácil e um percurso que dura mais ou menos 1h!


O lugar é, simplesmente, incrível. A caverna é cheia de formações rochosas magníficas e é de um tamanho e beleza de tirar o fôlego!


No início da palestra, o guia nos conta e nos mostra a diferença entre rocha morta (aquela que já está formada) e rocha viva (ainda em formação) neste tipo de rocha não se pode pode tocar, ela está sempre molhada e por ser calcária e mole o simples toque acabaria por interromper o processo de novas formações dentro da caverna.


Dentro da Caverna do Diabo encontramos exuberantes formações, como esta Estalagmite (formação rochosa que cresce à partir do chão em direção ao teto) que é a maior do Brasil. E o legal é que, além de você ver, você pode tocar e sentir toda esta criação.


Conforme vamos nos aprofundando pela caverna já podemos sentir a variação ambiental: a luz diminui, a temperatura cai e a úmidade aumenta...


Este conjunto de Estalactite ( formação rochosa que se origina no teto de cavernas e grutas) mostra o poder da natureza em formações de arrepiar.


 Fiquei, completamente, impressionada com o tamanho e a beleza do lugar.
Só vendo, pessoalmente, para entender o meu encantamento! A Caverna é enorme, além de possuir diversas formações rochosas, de vários tamanhos e formas!
O guia nos explicou que a maioria das rochas são calcárias e que possuem rachaduras e camadas que vão se desgastando e originando novas formações quando entram em contato com a acidez da água das chuvas e do rios.


Além dessas diferentes formações rochosas, o que mais me chamou a atenção foram os grandes salões que compõem as cavidades internas da caverna. Eles se formam devido ao rebaixamento do nível das águas, que faz com que as fendas sequem. Com isso, ocorrem os desmoronamentos e a formação dos salões ou catedral, como apelidou o guia.


Não poderia deixar de citar todos os espeleotemas da Caverna do Diabo: helicites, cascatas, cortinas, colunas e as já citadas estalactites e estalagmites. Formas e formações que encantam a cada passo dentro deste universo fascinante..     


No final do percurso encontramos esta imagem impressa na parede que, segundo o guia, é uma formação natural da caverna. Ela dá origem ao nome da Caverna, juntamente com a mitologia dos quilombolas (povo que viveu neste local há muito tempo atrás).

Segunda a lenda, eles usavam esta caverna para abrigar animais e alimentos durante a noite e, sempre, no dia seguinte encontravam tudo bagunçado ou destruído. Assim fecharam a caverna e a apelidaram de Caverna do Diabo.

Neste momento, após contar a história, o guia apaga todas as luzes e ilumina a imagem que apresenta os olhos avermelhados... Dá um arrepio, não vou negar! rs


Lendas à parte, este momento é muito especial, pois quando ele apaga as luzes e todos ficam em total silêncio pode-se sentir toda a energia e atmosfera deste ambiente. 
O som das cachoeiras e as frequentes gotas que caem por toda a caverna nos dão a sensação de uma chuva constante, o eco e o ar mais pesado nos tornam míseros seres dentro da criação divina da natureza...

É algo que não se explica mostrando fotos ou contando, somente sentindo!


Fica aqui a super dica de um programa totalmente família! Essa Caverna é bem segura e acessível. Além disso a visitação só é feita com o auxilio de um guia e de roupas e tênis adequados. Vale para qualquer idade e é super instrutivo. 

É uma experiência que todos deveriam ter o privilégio de vivenciar... A Caverna do Diabo é, realmente uma Maravilha da Natureza!

Valeu pela companhia e espero que tenham gostado do passeio...


Ah! Colocarei todas as fotos que tirei durante a visita em um álbum no página do facebook. Mas vocês, também, podem visualizar as fotos clicando no link álbum do blog.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Amei essas matérias que você posta aqui .Frequento a Ilha desde minha adolescência ,mas até hoje é o lugar que acho perfeito para descansar .
    Parabéns pelo blog e continue postando mais matérias como essas .Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por comentar e enriquecer o blog, isso me incentiva à continuar a fazer matérias cada vez mais legais!

      Beijos

      Excluir