Como combater o Caramujo Africano


Este é o Caramujo Africano, um dos grandes perigos que invadem a Ilha, principalmente, no verão. Uma praga urbana que pouca gente sabe combater. O Caramujo Africano foi trazido para o Brasil de forma ilegal na década de 80 por produtores rurais. Eles buscavam uma alternativa  mais rentável para substituir o escargot, um molusco apreciado na França, como uma iguaria gastronômica. O negócio não deu certo e os caramujos acabaram abandonados. Diferente do verdadeiro escargot, que é bem menor e tem a concha mais arredondada, o caramujo africano é estranho e chega a ser repulsivo. Ele é grande, escuro e, quando adulto, pode medir 15 cm de comprimento e pesar 200 gramas.


Eles são capazes de provocar doenças em humanos e animais domésticos, contaminam a água e devastam plantações e jardins. Até a meningite pode ser transmitida pelo caramujo africano.
Por onde passa, deixa uma secreção e, se estiver contaminado por micro-organismos pode afetar o sistema nervoso central do homem, causando cegueira e meningite. O contato com o caramujo, também, pode provocar problemas intestinais graves.


Para evitar a contaminação: mergulhe as verduras, frutas e legumes em uma mistura contendo uma colher de sopa de água sanitária em um litro de água. Espere 15 minutos e enxague bem.


O número de caramujos aumenta sempre depois das chuvas e a melhor forma de controle é mesmo pegá-los com as mãos, dede que estejam com luvas. A captura deve ser feita nas primeiras horas da manhã ou no final da tarde, quando os caramujos saem para comer.
Os caramujos e, também, seus ovos recolhidos devem ser esmagados, cobertos com cal virgem e enterrados.

Vamos ficar atentos!!!!!


You Might Also Like

2 comentários

  1. Se eles transmitem tantas doenças, porque seriam utilizados na alimentação? Alguém explica?

    ResponderExcluir
  2. Através de alguma pesquisa descobri que ele só afeta a saúde se for ingerido cru e que, o simples cozimento de uns 20 minutos o torna seguro para o consumo.

    ResponderExcluir